ARTIGOS

Você está em - Home - Artigos - Elastografia por Ultrassonografia: Revisão de Técnicas e Aplicações Clínicas

Elastografia por Ultrassonografia: Revisão de Técnicas e Aplicações Clínicas

Técnicas de imagem baseadas em elastografia têm recebido atenção substancial nos últimos anos para avaliação não invasiva das propriedades mecânicas dos tecidos. Essas técnicas aproveitam a elasticidade alterada dos tecidos moles em várias patologias para produzir informações qualitativas e quantitativas que podem ser usadas para fins de diagnóstico. As medições são adquiridas em modos de imagem especializados que podem detectar a rigidez do tecido em resposta a uma força mecânica aplicada (compressão ou onda de cisalhamento). Os métodos baseados em ultra-som são de particular interesse devido às suas muitas vantagens inerentes, como a ampla disponibilidade, inclusive à beira do leito, e o custo relativamente baixo. Várias técnicas de elastografia por ultra-som usando diferentes métodos de excitação foram desenvolvidas. Em geral, estes podem ser classificados em métodos de imagens de tensão que usam estímulos de compressão internos ou externos, e imagens de onda de cisalhamento que usam estímulos de onda de deslocamento viajantes gerados por ultrassom. Embora a elastografia por ultrassonografia tenha mostrado resultados promissores para a avaliação não invasiva da fibrose hepática, novas aplicações em imagem de mama, tireóide, próstata, rim e linfonodo estão surgindo.

Fonte: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5399595/

VEJA TAMBÉM:



Texto Original

Elastography-based imaging techniques have received substantial attention in recent years for non-invasive assessment of tissue mechanical properties. These techniques take advantage of changed soft tissue elasticity in various pathologies to yield qualitative and quantitative information that can be used for diagnostic purposes. Measurements are acquired in specialized imaging modes that can detect tissue stiffness in response to an applied mechanical force (compression or shear wave). Ultrasound-based methods are of particular interest due to its many inherent advantages, such as wide availability including at the bedside and relatively low cost. Several ultrasound elastography techniques using different excitation methods have been developed. In general, these can be classified into strain imaging methods that use internal or external compression stimuli, and shear wave imaging that use ultrasound-generated traveling shear wave stimuli. While ultrasound elastography has shown promising results for non-invasive assessment of liver fibrosis, new applications in breast, thyroid, prostate, kidney and lymph node imaging are emerging.

VEJA TAMBÉM: