ARTIGOS

Você está em - Home - Artigos - Comparação entre ultrassonografia e tomografia computadorizada de feixe cônico para exame do nível ósseo alveolar: uma revisão sistemática

Comparação entre ultrassonografia e tomografia computadorizada de feixe cônico para exame do nível ósseo alveolar: uma revisão sistemática

Os métodos atuais para a imagem do osso alveolar em humanos incluem radiografia 2D intraoral e tomografia computadorizada de feixe cônico (TCFC). No entanto, esses métodos expõem o assunto a radiação ionizante. Portanto, a ultrassonografia tem sido investigada como uma técnica alternativa, por ser não invasiva e livre de radiação ionizante. A fim de avaliar a validade e confiabilidade da ultrassonografia na visualização do osso alveolar, uma revisão sistemática foi realizada comparando a ultrassonografia à TCFC para exame do nível ósseo alveolar.

Design de estudo
Sete bases de dados foram pesquisadas. Estudos que abordam o exame do nível ósseo alveolar via TCFC e ultrassonografia foram selecionados. O risco de viés sob as diretrizes da Cochrane foi usado como uma ferramenta de avaliação da qualidade metodológica.

Resultados
Todos os quatro estudos incluídos foram estudos ex vivo que utilizaram amostras de cadáveres suínos ou humanos. O nível ósseo alveolar foi medido pela distância da crista óssea alveolar a certos pontos de referência, como junção cemento-esmalte ou margem gengival. O risco de viés foi encontrado como baixo. A diferença média entre o ultrassom e as medidas de TCFC variou de 0,07 mm a 0,68 mm, equivalente a 1,6% - 8,8%.

Conclusões
Atualmente, há evidências preliminares para apoiar o uso da ultrassonografia em comparação à TCFC para o exame do nível ósseo alveolar. Novos estudos comparando o ultrassom com os métodos padrão-ouro seriam necessários para ajudar a validar a acurácia da ultrassonografia como técnica diagnóstica na imagem periodontal.

Fonte: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6169851/

VEJA TAMBÉM:



Texto Original

The current methods to image alveolar bone in humans include intraoral 2D radiography and cone-beam computed tomography (CBCT). However, these methods expose the subject to ionizing radiation. Therefore, ultrasound imaging has been investigated as an alternative technique, as it is both non-invasive and free from ionizing radiation. In order to assess the validity and reliability of ultrasonography in visualizing alveolar bone, a systematic review was conducted comparing ultrasound imaging to CBCT for examination of the alveolar bone level.

Study design
Seven databases were searched. Studies addressing examination of alveolar bone level via CBCT and ultrasound were selected. Risk of bias under Cochrane guidelines was used as a methodological quality assessment tool.

Results
All the four included studies were ex vivo studies that used porcine or human cadaver samples. The alveolar bone level was measured by the distance from the alveolar bone crest to certain landmarks such as cemento-enamel junction or gingival margin. The risk of bias was found as low. The mean difference between ultrasound and CBCT measurements ranged from 0.07 mm to 0.68 mm, equivalent to 1.6% - 8.8%.

Conclusions
There is currently preliminary evidence to support the use of ultrasonography as compared to CBCT for the examination of alveolar bone level. Further studies comparing ultrasound to gold standard methods would be necessary to help validate the accuracy of ultrasonography as a diagnostic technique in periodontal imaging.

VEJA TAMBÉM: